21ª MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES APRESENTA RESULTADOS E ALCANCE DO EVENTO

A Mostra de Cinema de Tiradentes, nesta 21ª edição, continuou assumindo a missão de sintetizar a produção nacional, fazer eco para seus melhores frutos, difundir e promover conhecimento. Em nove dias de evento, a cidade recebeu toda infraestrutura para sediar a programação cultural, que reuniu todas as manifestações de artes. Foram instalados quatro espaços de exibição: o Cine-BNDES na Praça, no Largo das Fôrras; o Complexo de Tendas, que sediou o Cine-Tenda e o Sesc Cine-Lounge; e o Cine-Teatro SESI.

O evento abriu o calendário audiovisual brasileiro no mesmo dia em que a cidade de Tiradentes comemorou seus 300 anos. Prestou homenagens ao ator carioca Babu Santana e apresentou ao público 102 filmes brasileiros – 30 longas e 72 curtas – de 15 estados, exibidos em 51 sessões. Para a coordenadora da Mostra Tiradentes, Raquel Hallak, “a seleção se configurou como oportunidade única para se conhecer e difundir os caminhos originais e ousados da produção brasileira contemporânea sob as mais variadas vertentes. Um convite à inquietação que retrata a vida cotidiana.”

Trinta longas representaram a produção audiovisual brasileira contemporânea, divididos em seis seções temáticas: Aurora, Olhos Livres, Homenagem, Chamado Realista, Praça e Mostrinha. Com curadoria de Cleber Eduardo e Lila Foster, foram apresentadas produções de nove estados brasileiros: São Paulo (12), Rio de Janeiro (6), Minas Gerais (5), Paraíba (2), Goiás (1), Bahia (1), Pernambuco (1), Paraná (1) e Distrito Federal (1).

Já os 72 curtas, representaram a produção de 15 estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. Os filmes foram distribuídos em nove mostras:  Foco (cujos filmes concorrem ao prêmio do Júri da Crítica), Foco Minas (que destaca a produção mineira, estado que sedia o evento), Panorama, Chamado Realista, Praça, Regional, Formação, Jovem e Mostrinha.

Extensão fundamental da programação de filmes na Mostra Tiradentes, o 21º Seminário do Cinema Brasileiro contou com a participação de 89 profissionais, no centro de 34 debates. Críticos, jornalistas, pesquisadores, profissionais do audiovisual e cinco convidados internacionais: Boris Nelepo (Rússia), Erick González (Chile), Andrea Stavenhagen (México), Raúl Camargo (Chile) e Roger Koza (Argentina), junto com as equipes dos filmes e espectadores, ampliaram ideias e olhares sobre a temática central “Chamado Realista” e os filmes em exibição.

No âmbito do programa de capacitação, a Mostra promoveu 10 oficinas gratuitas e certificou 225 pessoas. Esta iniciativa, que acontece deste a primeira edição do evento, permite a reciclagem para os que já trabalham na área e o despertar de novos ofícios – questão vital para o desenvolvimento da indústria cinematográfica no país. As oficinas abordaram temas diversos para atender os públicos infantojuvenil, adulto e educadores.

CAMPANHAS

Uma das novidades desta edição foi o lançamento da campanha Descubra #Tiradentes300anos – iniciativa da Universo Produção para celebrar o tricentenário da cidade e, ao mesmo tempo, enaltecer e apresentar ao público histórias, personalidades, curiosidades e pontos turísticos da cidade. Esta data histórica foi inserida na programação do evento que promoveu a realização de uma exposição temática no Largo das Fôrras; do Cortejo das Artes, que percorreu as ruas históricas com a participação de 14 grupos artísticos e representativos das tradições e culturas populares e; ainda, contou com a produção do curta “Descubra Tiradentes 300 anos em tempo presente”, com exibição no encerramento do evento.  

O assunto norteou também a Mostra Valores. Esta iniciativa, idealizada pela Universo Produção, tem o propósito de dialogar e valorizar pessoas, ações, projetos e comunidades locais das cidades-sede de Tiradentes, Ouro Preto e Belo Horizonte no âmbito do Cinema sem Fronteiras. Este programa internacional do audiovisual reúne as três mostras anuais, diferenciadas e complementares, com o intuito de exibir e discutir a produção contemporânea do cinema, sua história, patrimônio, linguagens, estéticas e formas de inserção no mercado audiovisual. Nesta edição, a Mostra Tiradentes elege o aniversário de 300 anos da cidade para ser protagonista da Mostra Valores, inserindo a comemoração na programação do evento; além disto, promove uma exposição na praça principal, realiza um filme de curta duração para exibir no encerramento do evento e uma campanha nas redes sociais intitulada Descubra #Tiradentes300 anos.

Já o Coletivo #eufaçoaMostra integra a campanha de mesmo nome, iniciativa que visa formar uma memória coletiva e colaborativa com a participação do público dos eventos que integram o programa Cinema sem Fronteiras. A campanha reúne fotos, vídeos e depoimentos com a atuação do coletivo #eufaçoaMostra. Durante o evento é instalado um núcleo de produção de microvídeos cocriativos, de caráter instantâneo, tendo como mote e temática a programação da Mostra, com exibições diárias de conteúdos nas redes e no Sesc Cine-Lounge. Todos os registros integram o acervo da Mostra Tiradentes.

PROGRAMAÇÃO DIVERSA

Mas nem só de cinema é feita a Mostra Tiradentes. O evento ampliou seu caráter de resistência e inovação para além das telas em uma agenda ampla, plural e totalmente gratuita. Dela participaram artistas que têm se destacado na cena mineira e nacional, ao realizar um trabalho autoral capaz de colocar em diálogo questões políticas, sociais, estéticas, comportamentais e filosóficas. Foram promovidos nove shows, sete intervenções artísticas, cinco lançamentos de livros e DVDs e apresentações diárias de videoarte. O Sesc Cine-Lounge foi o espaço de encontros com a arte, o diálogo entre cinema, música, literatura e atrações artísticas.

“Esta imensa manifestação cultural que evolui a cada edição narrou os instantes históricos da nossa cultura e reafirmou o propósito de contribuir para o desenvolvimento econômico, social e humano em seus mais significados conceitos e efeitos multiplicadores, utilizando o cinema como instrumento capaz de retratar a vida cotidiana e sua complexidade”, destaca Raquel Hallak, diretora da Universo Produção e coordenadora geral da Mostra de Cinema de Tiradentes.

SUCESSO

Fórmulas de sucesso, iniciadas no ano passado, quando o evento completou 20 anos, foram incluídas definitivamente na programação. É o caso dos debates realizados com a equipe dos longas-metragens exibidos no Cine BNDES na Praça, logo após as sessões.

A continuidade da parceria cultural com o Sesc também garantiu o encontro de todas as artes com o cinema, e o público pôde conferir uma programação de vanguarda que destacou o trabalho autoral e independente de vários artistas, grupos e coletivos no Sesc Cine-Lounge.

Os vencedores de dois prêmios instituídos no ano passado são também aguardados pelo público na noite deste sábado: além da entrega do Troféu Barroco para o Melhor filme da Mostra Aurora, o Melhor Curta da Mostra Foco e Melhor Filme pelo Júri Popular, haverá a entrega do Prêmio Carlos Reichenbach, para o melhor filme da Mostra Olhos Livres, eleito pelo Júri Jovem; e o Prêmio Helena Ignez, a ser entregue para um destaque feminino de algum dos filmes concorrentes nas mostras Aurora e Foco – o Troféu será entregue pela própria Helena, presente no evento para a pré-estreia de seu mais novo trabalho, “A moça do calendário”, que encerra esta edição.

ALCANCE E RESULTADOS DA MOSTRA TIRADENTES

A programação da Mostra Tiradentes atraiu a cobertura de 59 veículos de imprensa, sendo credenciados 90 profissionais, entre jornalistas e críticos de cinema de emissoras de rádio e TV, portais e agências de notícias, revistas eletrônicas especializadas, jornais e revistas. Além disso, mais de 400 convidados participaram da edição deste ano. Foram contratadas 263 empresas e mais de 180 pessoas atuaram na equipe de trabalho nas fases de montagem, realização e desmontagem.

Em 21 edições, a Mostra Tiradentes beneficiou um público estimado em 717 mil pessoas. Proporcionou o acesso gratuito e democrático aos bens culturais com a oferta de uma programação que reúne ações de formação, reflexão, exibição e difusão. O evento já exibiu 2.618 filmes em 921 sessões de cinema, promoveu 221 oficinas e 6.429 alunos certificados, 21 seminários, 27 cortejos, 41 exposições temáticas,  68 espetáculos de rua, 162 shows musicais. Recebeu mais de 8.200 convidados – entre autoridades, cineastas, produtores, atores, críticos de cinema e profissionais do audiovisual. A imprensa foi representada por 1.517 profissionais de jornais, televisões, rádios e internet de todo o Brasil.

TODA PROGRAMAÇÃO É OFERECIDA GRATUITAMENTE AO PÚBLICO.

Foto:
Jackson Romanelli/Universo Produção