22ª MOSTRA DE TIRADENTES ENCERRA EDIÇÃO COM PREMIAÇÃO PELO JÚRI DA CRÍTICA, JÚRI JOVEM E JÚRI POPULAR

Evento que abre o calendário audiovisual do país se encerra hoje com cerimônia de premiação às 22h30, quando serão conhecidos os vencedores das mostras Aurora, Olhos Livres, Foco e Helena Ignez

Depois de dezenas de sessões, filmes e debates, a 22ª Mostra de Cinema de Tiradentes tem seu aguardado momento na noite deste sábado (26), com o anúncio dos grandes vencedores do troféu Barroco nesta edição. Os premiados nas mostras Aurora e Foco, escolhidos pelo júri da crítica; da mostra Olhos Livres, avaliados pelo júri jovem; e o longa e curta eleitos pelo júri popular serão revelados na cerimônia de encerramento marcada para as 22h30 no Cine-Tenda.

Antes dela, porém, a programação apresenta três sessões especiais de encerramento. Às 18h, também na Tenda, quatro realizadores, velhos conhecidos de Tiradentes – Cristiano Burlan, Dellani Lima, Frederico Machado e Taciano Valério – apresentam suas reflexões sobre “a tragédia que se repete no Brasil atual”, no longa “Depois da Farsa”. Logo na sequência, às 20h, o mineiro Tiago Mata Machado (vencedor da mostra Aurora em 2011, com “Os Residentes”) faz a pré-estreia nacional de seu novo trabalho, “Os Sonâmbulos”, “um conto de amor e morte em um mundo em que o estado de exceção veio a se tornar regra, e os últimos dias da humanidade não terminam nunca”. O elenco conta com Rômulo Braga, Lira Ribas e Clara Choveaux.

Já o Cine-Praça encerra seus trabalhos em 2019 com o documentário “Bando, Um Filme de:”, estreia do ator Lázaro Ramos na direção, às 21h. A produção conta a história do icônico Bando de Teatro do Olodum que, desde 1990, leva aos palcos espetáculos com atores e atrizes negros, tornando-se um símbolo da identidade brasileira e revelando nomes como o próprio Lázaro. A sessão será seguida de debate com a equipe do filme, com mediação da curadora de curtas Tatiana Carvalho Costa.

FORMAÇÃO ACESSÍVEL

A programação do sábado inclui também a cerimônia de encerramento das oficinas da 22ª Mostra de Tiradentes. Nesta edição, foram oferecidas atividades em dez modalidades diferentes, formando um total de 270 alunos. Cada grupo será representado por um participante, que receberá seu certificado no Cine-Tenda, a partir do meio-dia.

Um dos grandes destaques desta edição foi o diálogo com as novas tecnologias que permeiam hoje a produção audiovisual. O público juvenil, por exemplo, aprendeu a usar o smartphone como ferramenta de animação em “Animando Gente com Pixilation”, ministrada pelo instrutor Rodrigo EBA!. “É bem legal o que os celulares estão possibilitando com relação à comunicação entre as pessoas, mas eles oferecem muito mais que isso. E quem não tem um conhece sempre um vizinho, parente ou amigo que tem, então, é um recurso que torna o fazer cinema muito mais acessível”, argumenta Rodrigo.

Logo após a entrega dos certificados, o Cine-Tenda recebe ainda uma sessão do curta “Quantas Cidades Habitam em Uma”, dentro da mostra Valores. A produção, que apresenta Tiradentes pelo olhar infantil, usando recursos animados e live-action, foi realizada por crianças e jovens da própria cidade que participaram de uma ação cultural promovida pela mais recente edição do Festival Artes Vertentes.

PERFORMATIVIDADE & ACESSIBILIDADE

A agenda de debates também é intensa no último dia de evento. Dois seminários importantes ocupam o Cine-Teatro Sesi na tarde do sábado. Às 14h30, Thaís Ortega – coordenador de acessibilidade da ETC Filmes, parceira da Mostra de Tiradentes há 13 anos na distribuição e veiculação dos filmes – desmistifica a “Acessibilidade no Audiovisual”, batendo um papo sobre os esforços e ações que podem transformar o cinema uma arte realmente para todos.

Logo em seguida, às 15h, rola o último dos seminários em torno dos “Corpos Adiante”, grande temática desta edição. Na mesa “Performatividade e Corpo-Ficção no Cinema”, a professora e pesquisadora Amaranta César, a professora-performer Cíntia Guedes e a poeta, ensaísta  e dramaturga Leda Maria Martins discutirão a normalização e a normatização do corpo branco, hétero e cisgênero no cinema, e como os últimos anos têm avançado ou não na representatividade e diversidade de corpos na tela. A mediação será da curadora de curtas Tatiana Carvalho Costa.

Pela manhã, acontecem os derradeiros Encontros com os Filmes, debatendo os longas exibidos na noite de sexta. Às 10h, a crítica mineira Úrsula Rösele disseca o longa carioca “Calypso”, concorrente da mostra Olhos Livres, com realizadores e público. Em seguida, é a vez da mostra Aurora: “A Rosa Azul de Novalis”, com o crítico Jocimar Dias Jr., às 11h15; e “Um Filme de Verão”, analisado por Amaranta César, às 12h30.

CURTAS PARA FORMAR PÚBLICO

A programação de curtas do sábado dá atenção especial ao público infantojuvenil. Serão três sessões voltadas primordialmente às crianças, jovens e adolescentes. Já pela manhã, às 10h30, rola uma sessão da Mostrinha de Cinema no Cine-Tenda, com seis filmes curtinhos para a garotada. Aumentando um pouco a faixa etária, a Sessão Jovem rola mais tarde, às 15h, com quatro produções. E fechando a seleção de curtas de Tiradentes em 2019, a segunda série da mostra Formação será exibida no Cine-Teatro Sesi, às 17h30. Os três programas incluem produções de Minas, São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro, Ceará e Goiás.

DANÇA IMPROVISADA E CELEBRATÓRIA

Completando a intensa programação do sábado, a Mostra de Tiradentes também abre espaço para as outras artes, especialmente a dança. Além da última chance de conferir a mostra permanente de videodança “Corpo a Corpo” no Sesc Cine-Lounge, a partir das 19h, o Largo das Forras recebe às 16h o espetáculo “Em Algum Lugar de Mundo”, da Cia. Sesc de Dança.

Mais tarde, bailarinos do grupo também participam da última atração artística do Sesc Cine-Lounge neste ano. Após a cerimônia de encerramento, o palco da tenda recebe uma edição especial da Q.I. – Quartas de Improviso, à 0h30. Projeto de improvisação livre, ela traz os músicos Matthias Koole (guitarra) e Henrique Iwao (objetos, tábua amplificada) interagindo com convidados de diversas áreas artísticas e não-artísticas, sem ensaios prévios. Em Tiradentes, a música do duo servirá de trilha para as projeções ao vivo criadas por Daniel Carneiro e os improvisos de dança de Dorothé Depeauw, com participações especiais dos dançarinos da Cia Sesc de Dança.

Serviço
 22ª MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES | 18 a 26 de janeiro de 2019

LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA

LEI ESTADUAL DE INCENTIVO À CULTURA

Patrocínio:  TAESA, KINEA/Itaú, CSN, CBMM, CEMIG, COPASA|GOVERNO DE MINAS GERAIS

Parceria Cultural: SESC em Minas

Fomento: CODEMGE|GOVERNO DE MINAS GERAIS

Apoio: ACADEMIA INTERNACIONAL DE CINEMA, SESI FIEMG, OI, INSTITUTO UNIVERSO CULTURAL, TRES, WALS CERVEJA ARTE, MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES, SENAC, CINEMA DO BRASIL, DOT, MISTIKA, CTAV, NAYMAR, CINECOLOR, GLOBO MINAS, CANAL BRASIL, EMBAIXADA DA FRANÇA, ETC FILMES, NOVA ERA SILICON, POLÍCIA MILITAR, PREFEITURA DE TIRADENTE E CENTRO CULTURAL AIMORÉS.

Incentivo: SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA| MINAS GERAIS

Idealização e realização: UNIVERSO PRODUÇÃO

MINISTÉRIO DA CIDADANIA | GOVERNO FEDERAL

 

LOCAIS DE REALIZAÇÃO DO EVENTO 

Centro Cultural Sesiminas Yves Alves   

Largo das Fôrras 

Largo da Rodoviária

Escola Estadual Basílio da Gama