VIVER DE CINEMA: DA MACRO À MICROPOLÍTICA

O cinema brasileiro vivencia mais um fim de ciclo em relação às políticas públicas voltadas para o audiovisual. A sensação de asfixia, já vivenciada com o fim da Embrafilme no começo dos anos 1990, anuncia tempos de enormes dificuldades para aqueles que vivem de cinema. O encerramento de mais um ciclo econômico é o ponto de inflexão para debatermos a economia do cinema brasileiro, os avanços das políticas empreendidas nos últimos anos, assim como seus limites e sua inevitável sensação de dependência. É possível uma indústria de cinema no Brasil sem enfrentarmos, diretamente, um mercado dominando pelo produto estrangeiro? É possível imaginarmos outras formas de financiamento e circulação do cinema independente? O campo audiovisual atendeu às demandas políticas por relações de trabalho mais igualitárias? É tempo de negociarmos ou enfrentarmos de forma mais frontal o desmantelamento calculado do cinema brasileiro?

 Convidados:
- Eduardo Valente – cineasta e curador |RJ
- Jean-Claude Bernardet – ator e cineasta |SP
- Luana Melgaço – produtora |MG

Mediadora: Lila Foster – curadora |DF

Programação

27/01 | segunda - 15h30

Cine Teatro SESI