CINEMA PERIFÉRICO GANHA ESPAÇO NA MOSTRA TIRADENTES

Reconhecer e valorizar narrativas que são produzidas por e para realizadores em territórios periféricos, a partir de diferentes contextos históricos. O cinema realizado nas periferias ganha cada vez mais espaço de circulação e exibição nos festivais. Torna-se importante pensar como diferentes subjetividades atuam nestas produções, como se dá a criação audiovisual por meio de ações coletivas e comunitárias e quais debates são suscitados pela imaginação de narrativas feitas nas quebradas do país.

Integrante da equipe de curadoria de curtas-metragens da 24a Mostra de Cinema de Tiradentes, Camila Vieira revela que a cada ano e edição do evento, aumenta o número de filmes inscritos de realizadores que moram em periferias. “Isso diz algo sobre o panorama da produção audiovisual no Brasil, ou seja, temos mais profissionais fora do centro fazendo filmes e fortalecendo modos coletivos de produção, a partir de ações formativas comunitárias em seus próprios territórios”.

Para Camila, quanto mais essa produção periférica aparece nos festivais, maior é a nossa oportunidade de entrar em contato com histórias contra-hegemônicas, que partem de outras vivências e modos de se relacionar com o mundo. “São narrativas que pensam as periferias como territórios vivos, atravessados por pluralidades, em que a imaginação e a criação têm a ver com vivências que se constroem cotidianamente, a partir de memórias, experiências, acúmulo e partilha de saberes”, afirma.

Cinema é para todos

Se por um lado vemos a produção cinematográfica periférica ganhar seu espaço em grandes festivais, mostrando que a sétima arte está ao alcance de todos, qual a percepção dos cineastas que estão tornando tudo isso possível?

Na visão do diretor mineiro Marco Antônio Pereira, que teve seu curta “4 bilhões de infinitos” selecionado para a 24a  Mostra Tiradentes, o cinema de periferia chegou em um momento único da história do audiovisual, em que não só acompanhamos pessoas de fora dos grandes eixos promovendo suas obras, mas também contando histórias potentes baseadas na própria realidade. “Precisamos aproveitar esse período para expressar nosso ponto de vista em relação ao mundo do jeito que quisermos. E a Mostra de Tiradentes tem um papel fundamental na afirmação dessas vozes que surgem fora do lugar estabelecido”, salienta.

Segundo Marco Pereira, nos últimos anos, muitos realizadores lançaram ótimas produções no evento, se destacando, sobretudo, pela forma diferenciada de narrar e tratar as questões relevantes para o nosso tempo. Ele acrescenta ainda que a Mostra iluminou o trabalho de centenas de diretores em início de carreira que hoje são referência mundial.

Participando da Mostra Tiradentes com o curta experimental “Pietá”, a diretora Pink Molotov, deixa seu registro sobre o tema. Para ela, o cinema brasileiro precisa sair da bolha e olhar para lugares que não sejam os mesmos de sempre. “Temos muita gente fantástica, produções fortes e genuínas que representam essa nação rica e diversa, por isso, precisamos sair da simples inércia do mesmo. A luta é pela decolonização das nossas figuras e imagens, pela renovação e reocupação do imaginário coletivo”, acrescenta.

 SOBRE A 24a MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES

PLATAFORMA DE LANÇAMENTO DO CINEMA BRASILEIRO

Maior evento dedicado ao cinema brasileiro contemporâneo em formação, reflexão, exibição e difusão realizado no país. Apresenta, exibe e debate, em edições anuais, o que há de mais inovador e promissor na produção audiovisual brasileira, em pré-estreias mundiais e nacionais – uma trajetória rica e abrangente que ocupa lugar de destaque no centro da história do audiovisual e no circuito de festivais realizados no Brasil.

Trata-se de um programa audiovisual que reúne as manifestações da arte numa programação cultural abrangente, oferecida gratuitamente ao público, que prevê a exibição de mais de 100 filmes brasileiros, promove homenagem, oficinas, debates, mostrinha de cinema, exposições, shows musicais, performance audiovisual, encontros e diálogos audiovisuais e atrações artísticas. 

TODA PROGRAMAÇÃO É OFERECIDA GRATUITAMENTE AO PÚBLICO.

***

ATENÇÃO:

Como o formato do evento é digital, convidamos você a seguir a Universo Produção/Mostra Tiradentes nas redes sociais para ficar por dentro de tudo o que vai acontecer nos bastidores, acompanhar a evolução e notícias do evento e também receber conteúdos exclusivos sobre a 24ª edição da Mostra Tiradentes. Canais e endereços:

Na Web: www.mostratiradentes.com.br

No Instagram: @universoproducao

No Youtube: Universo Produção

No Twitter: @universoprod

No Facebook: mostratiradentes / universoproducao

No LinkedIn: universo-produção

Acompanhe o programa Cinema Sem Fronteiras 2021. 

Participe da Campanha #EufaçoaMostra

Serviço

24a MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES | 22 a 30 de janeiro de 2021

LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA

LEI ESTADUAL DE INCENTIVO À CULTURA

Patrocínio: CBMM, ITAÚ, CSN, CEDRO MINERAÇÃO, CIMENTO NACIONAL, COPASA|GOVERNO DE MINAS GERAIS

Parceria Cultural: SESC EM MINAS 

Apoio: CAFÉ TRÊS CORAÇÕES, INSTITUTO UNIVERSO CULTURAL, DOT, MISTIKA, CTAV, CIARIO/NAYMAR, CINECOLOR, THE END, BUCARESTE ATELIÊ DE CINEMA, CANAL BRASIL, REDE MINAS, RÁDIO INCONFIDÊNCIA

Idealização e realização: UNIVERSO PRODUÇÃO

SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA E TURISMO | GOVERNO DE MINAS GERAIS

SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA, MINISTÉRIO DO TURISMO – GOVERNO FEDERAL| PÁTRIA AMADA BRASIL