CURTAS E LONGAS EM PRÉ-ESTREIA MUNDIAL SÃO OS DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO CINEMATOGRÁFICA DESTA QUARTA

Filmes experimentais, de ficção, terror, animação e documentários. As exibições programadas para esta quarta-feira, dia 27 de janeiro, têm tudo para movimentar a agenda cultural de todos os espectadores. Destaque para as produções em pré-estreia mundial, como o longa “A mesma parte de um homem”, de Ana Johann e o curta “Ópera dos cachorros”, dirigido pela homenageada desta 24ª edição da Mostra de Cinema de Tiradentes, a cineasta Paula Gaitán.

Acompanhe as dicas cinematográficas elaboradas pela equipe curatorial da Mostra Tiradentes. Com exceção do longa da Mostra Aurora e dos curtas da Mostra Foco, que ficam disponíveis por 48 horas, os outros filmes poderão ser vistos até o dia 30 de janeiro, pelo site www.mostratiradentes.com.br

Longas-metragens

Mostra Aurora – Apresentando um recorte absolutamente inédito do cinema brasileiro contemporâneo de invenção, na concorrida Mostra Aurora o público terá a oportunidade de acompanhar mais uma produção em pré-estreia mundial. Trata-se da ficção “A mesma parte de um homem”, dirigido por Ana Johann. O filmeopta por um espaço concentrado e forte investimento na construção cênica. A atmosfera conferida ao drama de duas mulheres que vivem em um sítio isolado, assume ares um pouco mais surreais com a chegada de um homem sem nome e sem história. O lado de fora também é uma ameaça e os corpos são os grandes portadores dos dramas e tensões vividos nesse embate entre o mundo externo e interno, entre o mundo dos homens e o mundo das mulheres. É na descoberta de uma outra forma de viver o desejo e o gozo que rearticula as formas de resistência de mãe e filha diante de um mundo que parece sempre ameaçador.

Sessão da meia-noite – Para os cinéfilos corajosos e aventureiros, a curadoria destaca o filme de terror “O cemitério das almas perdidas”,sexto longa-metragem do cineasta Rodrigo Aragão. Corrompido pelo poder do livro negro de Cipriano, um jesuíta e seus seguidores iniciam um reinado de terror no Brasil colonial, até serem amaldiçoados a viver eternamente presos sob os túmulos de um cemitério. Agora, séculos depois, eles estão prontos para se libertar e espalhar sua maldade em todo o mundo.

Mostra Olhos Livres – Com sua diversidade de olhares e formas, na Mostra Olhos Livres a dica é aa exibição de “Subterrânea”, dirigido por Pedro Urano. A ficção olha para a origem do Rio de Janeiro que conhecemos hoje a partir de seu arrasamento em 1922 pelo prefeito Carlos Sampaio, com a desculpa de ser um espaço decadente no centro da cidade, e as lendas das galerias subterrâneas dos jesuítas que escondiam tesouros. O caso do Morro do Castelo, além de ser um paradigma da cidade do Rio como conhecemos, é também exemplo do modelo de modernização brasileira que expulsa os pobres das capitais a partir de intervenções violentas. Trata-se de uma investigação narrativa e imagética, uma mistura de fábula com documentário.

Mostra Tématica Vertentes da Criação – Francis Vogner e Lila Foster, curadores de longas da Mostra Tiradentes, chamam atenção para o documentário cearense “Pajeú”, com direção e roteiro de Pedro Diógenes. Maristela está sendo atormentada por um sonho constante: uma criatura emergindo das águas do riacho Pajeú. A estranheza e insistência do pesadelo começam a atrapalhar o sono e o cotidiano de Maristela que, procurando uma solução para seu problema, inicia uma pesquisa sobre o riacho, sua história e seu desaparecimento. Os pesadelos não param. Sonho e realidade se misturam. Pessoas próximas a Maristela começam a desaparecer, assim como o Pajeú desapareceu. A angústia dela aumenta junto com o medo de também sumir.

Curtas-metragens

Nesta quarta-feira, dia 27 de janeiro, está em destaque na Mostra Homenagem o curta,  em pré-estreia mundial, “Ópera dos cachorros”, da cineasta e multiartista Paula Gaitán. Um filme experimental em tela preta com tramas poéticas e sonoras que criam imagens muito vivas, robustas, que ao mesmo tempo delineiam uma solidão imaginativa e uma imaginação povoada. Segundo Gaitán, a base são áudios que fez em São Paulo e que traduzem sua experiência da cidade onde vive hoje. Como os outros filmes da cineasta, é uma experiência com distintas naturezas de imagem.

Mostra Foco – Para quem aprecia uma boa narrativa de ficção, a dica da equipe curatorial de curtas é acompanhar os três filmes selecionados para a Mostra FocoSérie 3. Dirigido por Júlia da Costa e Renata Mourão, “Abjetas 288”, articula elementos da cultura cyberpunk/gambiarra, incorporando dança e performance para apresentar sujeitos que vagam pelas paisagens desoladas da cidade, pelo sertão e pelos mangues. Já “Preces precipitadas de um lugar sagrado que não existe mais”, de Rafael Luan e Mike Dutra, aborda o reiterado trauma da violência contra jovens negros e periféricos, inventando possibilidades de vida e apontando desejos de futuro para além de um mundo e de uma existência em permanente risco de extermínio. E “Novo Mundo”, dos diretores Natara Ney e Gilvan Barreto,evoca memórias não-materializadas de povos cuja própria humanidade foi negada na construção de uma ideia de país. Todos os curtas estarão disponíveis a partir das 22 horas e ficarão abertos para o público por 48 horas.

Mostra Praça – Nesta quartaestão em evidência curtas que trazem perspectivas e experiências de diferentes estados do país. Da Bahia, “5 fitas”, de Heraldo de Deus e Vilma Martins, dois irmãos pequenos desejam uma bola de futebol em uma aventura durante a tradicional festa popular do Senhor do Bonfim. Do Distrito Federal, a ficção “Rádio Capital Alvorada”, dirigido por Rafael Stadniki, apresenta a relação afetiva de vários personagens com a última transmissão de uma emissora de rádio em Brasília. Já o documentário cearense “Noite de Seresta”, dos diretores Sávio Fernandes e Muniz Filho, mostra a energia contagiante de Kátia Blander, uma mulher que adora cantar e dançar em bailes de Karaokês. E a animação gaúcha  “Magnética”, de Marco Arruda, uma ficção científica com personagens curiosos em uma pequena cidade invadida por uma aparição holográfica de outro mundo.

Mostra Panorama – Com propostas experimentais, construções ficcionais e olhares documentais, a Mostra Panorama reúne quatro curtas da mais recente safra do cinema de São Paulo. “Fora de época”, de Drica Czech e Laís Catalano, se utiliza da obra de Cassandra Rios para revelar a uma filha lésbica o que sua falecida mãe precisou esconder sobre o passado. Dirigido por Anna Zêpa, em “Adelaide, aqui não há segunda vez para o erro”, a autora tem a obra rememorada por sua persona, articulada ao imaginário de leitores em torno da própria sexualidade. O experimental “De Dora, por Sara”, da diretora Sara Antunes, conecta duas gerações de mulheres para revisitar a “Represa de Dora”, recriando a comunicação entre as militantes Maria Auxiliadora Lara Barcelos e Clélia Lara Barcelos no período da ditadura militar. E a ficção “Menarca”, de Lillah Halla, acompanha as estratégias de defesa de crianças que convivem com abusos sexuais em um ambiente embrutecido e habitado pelo fantástico.

Os curtas da Mostra Foco, que ficam disponíveis até o dia 29 de janeiro, às 22 horas. As demais produções podem ser vistas até o dia 30 de janeiro, data de encerramento do evento, pelo site www.mostratiradentes.com.br

SOBRE A 24a MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES

PLATAFORMA DE LANÇAMENTO DO CINEMA BRASILEIRO

Maior evento dedicado ao cinema brasileiro contemporâneo em formação, reflexão, exibição e difusão realizado no país. Apresenta, exibe e debate, em edições anuais, o que há de mais inovador e promissor na produção audiovisual brasileira, em pré-estreias mundiais e nacionais – uma trajetória rica e abrangente que ocupa lugar de destaque no centro da história do audiovisual e no circuito de festivais realizados no Brasil.

Trata-se de um programa audiovisual que reúne as manifestações da arte numa programação cultural abrangente, oferecida gratuitamente ao público, que prevê a exibição de mais de 100 filmes brasileiros, promove homenagem, oficinas, debates, mostrinha de cinema, exposições, shows musicais, performance audiovisual, encontros e diálogos audiovisuais e atrações artísticas.

TODA PROGRAMAÇÃO É OFERECIDA GRATUITAMENTE AO PÚBLICO.

link para fotos

https://www.flickr.com/photos/universoproducao/

***

ATENÇÃO:

Como o formato do evento é digital, convidamos você a seguir a Universo Produção/Mostra Tiradentes nas redes sociais para ficar por dentro de tudo o que vai acontecer nos bastidores, acompanhar a evolução e notícias do evento e também receber conteúdos exclusivos sobre a 24ª edição da Mostra Tiradentes. Canais e endereços:

Na Web: www.mostratiradentes.com.br

No Instagram: @universoproducao

No Youtube: Universo Produção

No Twitter: @universoprod

No Facebook: mostratiradentes / universoproducao

No LinkedIn: universo-produção

Acompanhe o programa Cinema Sem Fronteiras 2021.

Participe da Campanha #EufaçoaMostra

Serviço

24a MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES | 22 a 30 de janeiro de 2021

LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA

LEI ESTADUAL DE INCENTIVO À CULTURA

Patrocínio: CBMM, ITAÚ, CSN, CEDRO MINERAÇÃO, CIMENTO NACIONAL, COPASA|GOVERNO DE MINAS GERAIS

Parceria Cultural: SESC EM MINAS

Apoio: CAFÉ TRÊS CORAÇÕES, INSTITUTO UNIVERSO CULTURAL, DOT, MISTIKA, CTAV, CIARIO/NAYMAR, CINECOLOR, THE END, BUCARESTE ATELIÊ DE CINEMA, CANAL BRASIL, REDE MINAS, RÁDIO INCONFIDÊNCIA

Idealização e realização: UNIVERSO PRODUÇÃO

SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA E TURISMO | GOVERNO DE MINAS GERAIS

SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA, MINISTÉRIO DO TURISMO – GOVERNO FEDERAL| PÁTRIA AMADA BRASIL