Evento começou na noite de sexta-feira (21) e contou com convidados e parceiros do cineasta

Na celebração de seus 25 anos, a Mostra de Cinema de Tiradentes realizou a cerimônia de abertura na noite de sexta-feira (21/1) em transmissão digital, pois toda a programação foi transferida para o on-line. Numa performance audiovisual, números musicais de artistas de Belo Horizonte se intercalaram com o resgate de diversos depoimentos sobre o evento colhidos ao longo dessas duas décadas e meia. Entre o presente e o passado, a Mostra exaltou o presente, inclusive expondo reflexões sobre a temática desse ano, “Cinema em transição”.

A noite marcou ainda a homenagem ao cineasta Adirley Queirós, realizador de Ceilândia, no Distrito Federal. Diretor de “Branco Sai, Preto Fica” e “Era uma Vez Brasília”, Adirley participou ao vivo da transmissão, junto dos parceiros Cristina Amaral (montadora), Dácia Ibiapina (diretora) e Francisco Craesmeyer (técnico de som). Com mediação da curadora Lila Foster, o bate-papo inaugural do evento destacou a trajetória do realizador e sua importância para a produção brasileira contemporânea na última década.

Emocionado, ele agradeceu a todo o carinho e a presença de admiradores, amigos e parceiros de trabalho, exaltando que o tipo de cinema que faz aproxima todos eles e se mistura a seu cotidiano. “Meus filmes não existem enquanto ideia de roteiro, de peça literária em que tudo é minuciosamente pensado. Os filmes existem é só depois do encontro com as pessoas, com os espaços, com as histórias, na troca, na experiência”, disse ele. “E essas experiências acumulam camadas na gente. Não penso o filme como trajetória de mercado ou carreira, e sim como a vontade de reinventar alguma coisa me apropriando de modelos de produção que estão por aí”.

Para Dácia Ibiapina, Adirley faz os filmes que ele quer, “e não necessariamente o que as agências de fomento ou o mercado querem que os cineastas brasileiros façam”. Ela afirmou: “A coragem da gente fazer o que acredita tem um preço. Nossas preferências estéticas e políticas são muitas vezes intransponíveis”. Dácia foi professora dele no curso de cinema da Universidade de Brasília, no final dos anos 1990, e orientou o trabalho de conclusão de curso do futuro diretor, que se tornou seu primeiro curta, “Rap, o Canto da Ceilândia” (2005).

A montadora Cristina Amaral relembrou que o surgimento de Adirley como referência no cenário audiovisual foi um acontecimento que estimulou a ela e a seu companheiro, Andrea Tonacci (1944-2016). “Ele abriu um campo de esperança pra gente dentro do cinema brasileiro e isso é muito sério, uma coisa muito forte trazida pelos filmes dele”, exaltou ela.

SOBRE A MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES


PLATAFORMA DE LANÇAMENTO DO CINEMA BRASILEIRO

Maior evento do cinema brasileiro contemporâneo em formação, reflexão, exibição e difusão realizado no país, chega a sua 25a edição de 21 a 29 de janeiro de 2022, em formato online. Apresenta, exibe e debate, em edições anuais, o que há de mais inovador e promissor na produção audiovisual brasileira, em pré-estreias mundiais e nacionais – uma trajetória rica e abrangente que ocupa lugar de destaque no centro da história do audiovisual e no circuito de festivais realizados no Brasil.

O evento exibe mais de 100 filmes brasileiros em pré-estreias nacionais e mostras temáticas, presta homenagem a personalidades do audiovisual, promove seminário, debates, a série Encontro com os filmes, oficinas, Mostrinha de Cinema e atrações artísticas. Toda a programação é gratuita. Maiores informações www.mostratiradentes.com.br.

TODA PROGRAMAÇÃO É OFERECIDA GRATUITAMENTE AO PÚBLICO.


25a MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES | 21 a 29 de janeiro de 2022

LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA

LEI ESTADUAL DE INCENTIVO À CULTURA

Patrocínio Máster:  INSTITUTO CULTURAL VALE

Patrocínio: CBMM, CEDRO MINERAÇÃO, ITAÚ, CSN, CIMENTO NACIONAL, COPASA, CEMIG|GOVERNO DE MINAS GERAIS

Parceria Cultural: SESC EM MINAS, INSTITUTO UNIVERSO CULTURAL, CASA DA MOSTRA, , CAFÉ 3 CORAÇÕES,

Apoio: PREFEITURA DE TIRADENTES, SENAC, NOVA ERA SILICON, THE END, DOT, MISTIKA, CINECOLOR, NAYMOVIE, CANAL BRASIL, RÁDIO INCONFIDÊNCIA, REDE MINAS, REDE GLOBO MINAS, MACROTEC

Idealização e realização: UNIVERSO PRODUÇÃO

SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA E TURISMO | GOVERNO DE MINAS GERAIS

SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA, MINISTÉRIO DO TURISMO – GOVERNO FEDERAL| PÁTRIA AMADA BRASIL

PROGRAMAÇÃO GRATUITA