Data: 23 a 26 de jan de 2021 | sábado a terça | 14h30 às 17h30

Carga horária: 12 horas

Vagas: 25

Faixa etária: a partir de 16 anos

Objetivo:


A proposta da Oficina Filme de Casa é refletir sobre outras possibilidades de direção cinematográfica, incitadas pela pandemia, mas exploradas muito antes dela. Em uma frase, o que a Oficina propõe é abordar e analisar obras que utilizaram pouquíssimos recursos e, ainda assim, ou talvez essencialmente por isso, se tornaram emblemáticas.

 

Conteúdo Programático:


Dia 1- A relação com o tempo real e o curta-metragem: experimentações contemporâneas.

Dia 2- Condensação dramática e a comparação com nosso momento atual, “filmado” antes de ele existir.

Dia 3- Do baixo orçamento à produção abastada de locação única: algumas facetas do horror e dos gêneros vizinhos.

Dia 4- O filme-ensaio, o filme-diário e o filme-dispositivo.

 

Mini Currículo dos instrutores:


Leandro Afonso. Graduado em Comunicação Social (UESC), mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas (UFBA). Roteirista, diretor e professor de cinema. Pesquisa direção cinematográfica, história do cinema, cinema brasileiro e cinema latino-americano. Diretor de Nunca Mais Vou Filmar (2012), Lara (2013), Habeas Corpus (2014), Argentina, Me Desculpe (2015) e Toda Sombra Parece Viva (2019). Em pós-produção do primeiro longa, Tio Bruno (2022).

Diogo Cronemberger. Formado em Audiovisual (USP), mestre em Cinema (Columbia University), participou do Talents Buenos Aires. É professor e  diretor e roteirista de curtas premiados, como O Forasteiro (2014), grande vencedor do Cineamazonia.

 

Pré-requisitos:


O aluno deve ter um dispositivo eletrônico para acesso (smartphone, tablet, notebook, desktop) e conexão estável de internet para participar da atividade.