Marcelo Aquino | RJ

26 a 28 de jan de 2022 | 9h30 às 13h30

carga horária: 12h

vagas: 25

faixa etária: A partir de 16 anos

Objetivo Geral: UMA PROPOSTA — Abrir uma arena no centro de um espaço, criar um território de trocas e de afetos onde possamos estar juntos por um tempo, respirando juntos, compartilhando nossas histórias e vivências. Estabelecer um jogo de projeções e reflexos onde possamos nos ver, nos multiplicar, ampliar, dilatar, recolher e fragmentar, nos escrever e reescrever no espaço/tempo.
Dançar nossas memórias, revirar o baú da ancestralidade e compartilhar na arena um pouco do que somos. Pegar emprestado também, pois nesta proposta, o arsenal afetivo de cada um se torna coletivo, então eu danço sobre sua estrada e te conduzo pelos meus caminhos. Compartilhar histórias no melhor sentido da palavra, desta forma doar um pouco de mim, me deixar ver, tocar para na mesma medida poder ser visto e tocado por você.
E dançar.
E voar, quem sabe.
Um corpo, um espaço um corpoespaço afetivo aberto às possibilidades do devir. Somos diferentes e agora podemos celebrar, nos reconhecendo nestas diferenças que na arena nos tornam tão iguais, parte de um, parte do outro.

Conteúdo Pragmático: “Dramaturgias do CorpoEspaço” é uma proposta de oficina de composição que utiliza várias técnicas, métodos e processos de trabalho, partindo sempre do acesso á memória e á biografia como fonte de inspiração criativa. Um olhar sobre a cena profundamente comprometida com a contemporaneidade que busca em procedimentos como os Viewpoints de Anne Bogart, a dança/teatro de Pina Bausch e o olhar afetivo sobre o corpo no mundo proposto por Klaus e Angel Vianna, a qualificação do estado de presença do atuador na cena, e afirmação potente de um discurso sobre o nosso tempo.
São chamados para colaborar nesta arena multifacetada autores, teóricos e pensadores de diferentes correntes e escolas, que sempre servirão de balizadores de uma proposta que opera justamente na confluência e no atravessamento de ideias e conceitos. Antonin Artaud e sua visão sobre um corpo em constante desconstrução e reconstrução no mundo é sem dúvida a grande referência, pois ao dilatar as fronteiras entre arte e vida, nos traz uma perspectiva muito mais comprometida de um estar no mundo.
Olhar o passado não como algo que foi, para o presente como algo que simplesmente está sendo ou prospectar o futuro como algo que vem depois, mas promover uma sobreposição temporal onde tudo se mistura e se cruza num presente que é o aqui e agora. Esta é a proposição deste trabalho que vai buscar em fontes importantes como Constantin Stanislavski, Rudolf Laban, Grotowski, Merce Cunnighan, Nelson Rodrigues, Mary Overli, Kurt Jooss, Samuel Becket entre outros, os alicerces de uma proposta que dialoga diretamente com artistas e pensadores de nosso tempo como Peter Brook, Matteo Bonfitto, Jacques Lassalle, Ana Vitória, Hans Ties Lehmann, Márcio Abreu entre tantos outros que ainda estão chegando para jogar junto.

Breve currículo do instrutor: Marcelo Aquino Ator / Diretor / Autor e Preparador Corporal. É graduado no Curso de Artes Dramáticas da UNIVERCIDADE no Rio de janeiro, e pós-graduado em Preparação corporal para as artes cênicas pela Faculdade Angel Vianna. Coordena um trabalho de pesquisa sobre “Os elementos da Dança e do Teatro” juntamente com a Bailarina e coreografa Ana Vitória, parceria que resultou na montagem de dois espetáculos. Na Rede Globo atua como ator e preparador corporal de atores para novelas e séries. Como professor atuou como colaborador em importantes instituições como PUC Rio, Faculdade Angel Vianna e Sesc. Seus últimos trabalhos como ator no teatro foram os espetáculos “Entre Corvos” de Antonin Artaud, “O Amor perdoa tudo” de Fabrício Carpinejar e “Ivanov” de Anton Tchekov. Seus recentes trabalhos como preparador Corporal na Rede Globo são na novela I Love Paraisópolis, Os Trapalhões, oficina de atores da Globo e a novela O Outro Lado do Paraíso.