A NOVA CARA DA PRODUÇÃO UNIVERSITÁRIA

Retrato de um longo período em que o ensino se viu prejudicado pela distância imposta pela pandemia, os oito filmes selecionados para a Mostra Formação exibem coletivamente um tremendo esforço para burlar as limitações espaciais e criativas que se impuseram como desafio no último ano.

A primeira de duas sessões é aberta pelo curta Idioma, de Leonardo Gelio. Vindo da PUC-RJ, o filme acompanha, de forma pausada e misteriosa, a jornada de uma mãe solo para ajudar seu filho a se comunicar. Em A Sentença, filme realizado pela Faap e dirigido por Laura Coggiola, o universo onírico dos sonhos contamina a realidade e transforma o relacionamento de duas garotas em sua exploração da cidade de São Paulo. Noêmia e Laura, realizado na UFJF por Danielle Menezes e Iago de Medeiros, também usa o terreno propositivo dos sonhos para observar atentamente a rotina de duas mulheres dividindo uma casa e se perdendo em suas ilusões. A sessão é concluída com Cidade Sempre Nova, de Jefferson Cabral. Vindo da UFRN, o filme é um experimento ousado que utiliza uma colagem de filmes realizados na cidade de Natal para refletir sobre suas histórias, contradições e celebrar uma produção audiovisual pouco reconhecida.

A segunda sessão inicia com UmCerto Mal-Estar, experimento visual realizado na UFPE por Tiago Calmon, que propõe uma breve e intensa representação visual da sensação de viver na incerteza midiática dos tempos pandêmicos. Vindo da USP, o curta Como Respirar Fora d’Água, de Júlia Fávero e Victoria Negreiros, é uma narrativa potente que observa o choque entre uma jovem preta, vítima de violência policial, e seu pai, um policial militar que se recusa a enxergar a realidade. Já Interiores, realizado na UFF por Matheus Bizarrias, observa as contradições sociais a partir da ótica de um menino de nove anos, que trabalha na praia como vendedor ambulante ao lado de sua avó e compreende o mundo a sua volta a partir de interações com clientes que vêm até ele. A Mostra é encerrada com NãoVim no Mundo para Ser Pedra, de Fabio Rodrigues Filho, advindo da UFMG. O filme-ensaio propõe uma colagem de imagens e falas do ator Grande Otelo.

Camila Vieira

Felipe André Silva

Tatiana Carvalho Costa

Curadores

Formação | Série 1

Formação | Série 2