LUTAS COMUNITÁRIAS E DEMANDAS REGIONAIS   

De volta à programação da Mostra de Cinema de Tiradentes, a Mostra Regional apresenta seis curtas-metragens realizados em cidades do interior de Minas Gerais, seja em regiões próximas de Tiradentes ou em municípios mais distantes. As produções abordam temáticas pertinentes às comunidades locais e personagens que exercem influência nos territórios regionais.

Produzidodurante um curso de audiovisual para apenados em regime fechado da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) de São João del-Rei,Noites Traiçoeirasnarra a história de um grupo de homens que se encontram à espera de um trem para Águas Negras e acabam se hospedando em um hotel misterioso, que é ocupado por fantasmas. O curta é dirigido por Felipe Quintiliano, Renato Loureiro e Wilmar Guilherme, que também participa do elenco.

De Leopoldina e Cataguases, que fazem parte do polo audiovisual mineiro da Zona da Mata, O que Eu Gosto de Fazer ÉTer Nascido no Mundo é um documentário sobre Maria da Conceição Rangel, avó da diretora do curta, Monique Rangel. Popularmente conhecida na comunidade como Maria da Paixão, a personagem foi rainha de um terreiro de umbanda que foi desativado, mas que integra a tradição da família de Monique, desde sua bisavó, que deixou de herança imagens de santos e várias histórias para contar. 

Produção rodada em Curvelo por meio do campus Diamantina do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais, Alziras experimenta sua forma documental com ações performativas e ensaísticas em torno da maternidade, o cuidado e a espera no ambiente doméstico. Em codireção com Helbert Rodrigues, Regiane Farias performa Alzira, que simboliza todas as mulheres que cuidam da casa enquanto os maridos não retornam.

Com recursos da Lei Aldir Blanc de Viçosa, Taxa de Retorno, de Matheus Vieira, acompanha a rotina dos moradores da comunidade São Pedro, na zona rural de Teixeiras. Após o início da extração de magnetita em 2019, o povoado esperava melhorias no entorno, no entanto nada foi feito comocontrapartida para o vilarejo que sofre com os danos da mineração.

O distrito de São Sebastião do Soberbo, em Santa Cruz do Escalvado, também teve sua paisagem modificada com a construção da hidrelétrica Candonga, que há 21 anos abriga rejeitos de minério da região. O documentário Santo Rio, de Lucas de P. Oliveira e Guilherme Nascimento, investiga o modo como a população da região foi afetada pelo empreendimento que polui o encontro do Rio Piranga com o Rio do Carmo.

A Mostra Regional finaliza com Bulha, de Daniel Couto, realizado em Juiz de Fora. O ruído da passagem do trem acumula-se aos protestos dos moradores da cidade, que estão insatisfeitos com a passagem interditada sobre a linha férrea no bairro Poço Rico.

Camila Vieira

Felipe André Silva

Tatiana Carvalho Costa

Curadores