As potências criativas do cinema estudantil

Dedicada inteiramente aos filmes realizados em escolas e faculdades, as sessões da Mostra Formação evidenciam a potência e a efervescência criativa da juventude brasileira, que mesmo em tempos e condições tão adversas consegue propor experimentos e narrativas inventivas, que traduzem seu tempo e seus iguais. Nesta edição, nove filmes criam um panorama da produção de vários cantos do país.

MOSTRA FORMAÇÃO | Série 1

A mostra é aberta pelo curta Pátria, de Lívia Costa e Sunny Maia. Vindo da escola Vila das Artes, no Ceará, o filme é uma colagem experimental que analisa as problemáticas do nacionalismo, opondo a paixão pelo futebol com as questões políticas brasileiras. Da Universidade Federal de Sergipe (UFS), vem o filme Caminhos na Noite, de Douglas Oliveira, uma ficção que acompanha as desventuras e tensões de dois jovens que perambulam pela madrugada da cidade, depois de perder o último ônibus. Dirigido por Filipe Rodrigues, a soturna ficção O Filho do Homem, realizada na Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém, acompanha a estranha porém afetuosa relação entre um homem jovem e um idoso que se desenrola nas sombras de uma antiga casa. Realizado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, o curta ela viu aranhas oferece os pontos de vistas de várias mulheres que ocupam o mesmo apartamento. Elas falam sobre vida, paixões, dificuldades, e celebram sua existência.

28/01 | quinta

BATE-PAPO COM OS REALIZADORES | MOSTRA FORMAÇÃO – SÉRIE 1

_________

MOSTRA FORMAÇÃO | Série 2

A segunda sessão é aberta por Vander, realizado na Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), um curta documental e muito pessoal que relata a difícil relação que a diretora Bárbara Carmo mantém com a memória de seu pai. Realizado por Giulia Maria Reis, da Escola Darcy Ribeiro, no Rio de Janeiro, o filme Noções de Casa é um delicado retrato de amadurecimento e de redescoberta de memórias familiares, um ritual de cura em meio às águas. Dirigido por Rebeca Francoff, do Centro Universitário UNA, em Minas Gerais, o curta Comboio pra Lua acompanha as questões de uma jovem aluna de intercâmbio tentando lidar com as diferenças culturais em Portugal. Da Escola Adalgisa Nery, no Rio de Janeiro, vem o curta Para Todes, um curioso experimento de cinema direto, que põe adolescentes numa discussão sobre a cultura machista do futebol, que existe mesmo no ambiente escolar. Dirigido por Mateus Strelow, da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), no Rio Grande do Sul, o filme A Verdade Sai de Seu Poço Para Envergonhar a Humanidade, é um exemplar de cinema de gênero que, através da tensão entre duas irmãs afastadas, remexe em medos e tensões há muito adormecidas.

30/01 | sábado

BATE-PAPO COM OS REALIZADORES | MOSTRA FORMAÇÃO – SÉRIE 2

Assinam o texto:
Camila Vieira
Felipe André Silva
Tatiana Carvalho Costa
Curadores